#GueixaTropical #Romance #Book

“Deitou-se ali mesmo e dormiu quase que imediatamente. Caiu num sono profundo debaixo de uma grande Figueira branca, a árvore sagrada e celestial, a mais antiga, cuja lenda dizia que fora a primeira manifestação de Deus na Terra e por onde todos os deuses desceram do céu. Representa a casa do deus mais velho e sábio, o pai de todos, aquele a quem nunca se deve mentir nem desrespeitar. O poderoso e implacável, que mais dia menos dia, na hora certa o alcançará, seja aonde for. Virá buscar-lhe para cumprir o destino que lhe cabe. Destino esse o qual nós mesmos criamos e jamais poderemos escapar. Nada se pode contra fúria desse deus, quando mangam com seus filhos, raros e amados. A menina aninhou-se entre as imensas raízes da figueira, como uma criança se aninha nos braços firmes de seu pai, que a protege com carinho, durante seu sono.

Depois de observá-la dormir por um tempo, T…… fez um movimento delicado com as mãos, como se tivesse enrolando um novelo invisível e saudou o céu. Entre seus dedos, uma esfera brilhante e dourada começou a se formar e subitamente entrou em conexão com a árvore, cujas raízes começaram a tomar forma e abraçar o corpo adormecido da menina. A cor era um dourado cálido que envolvia a menina e a árvore, e juntos, tornaram-se um só. Então houve um espetáculo de luz e cores naquele lugar! Deu-se a sintonia e a bola de fogo que crescia, espalhou-se em pequenos fractais que transformaram-se em centenas de pássaros de um branco brilhante, voando em direção ao céu! Juntos criavam um canto, uma sinfonia capaz de hipnotizar o mais duro dos corações.

Até a tristeza que não era disso, chorou de alegria, e, sucumbida pela força contrária á sua natureza, perdeu o sentido primordial e sua existência já não tinha mais porquê. Sua missão estava cumprida. Então despediu-se de do deus levando um beijo seu demorado na testa. Estava com saudade, disse ela, suspirando em seus ouvidos.
– Poucas mulheres do universo são tão lindas quanto você, eu jamais te esqueço, querida, como posso? És um espetáculo a parte! És capaz de tanto, até de recriar a própria vida! És guerreira, és da revanche, teu coração é aberto e chora. Como admiro sua verdade. Eu agradeço sua ajuda, sempre. Obrigado por cuidar da minha filha e trazê-la até a mim, disse o deus.
– Não te preocupes, darei teus recados. A sacerdotisa riu. Agora posso ir, disse. Tua filha está segura em teus braços. Você me seduz, mas se tivesse um espelho para ver sua própria beleza refletida, saberias a covardia que comete. Terias pena de mim. És um deus e contra teu doce veneno e sedução, não existe defesa, ainda mais para uma mulher triste como eu. Até breve meu querido. Conte comigo sempre. E foi embora seguindo pela estrada até sumir.

Nesse momento um caminhão passou pela estrada e o motorista não pôde acreditar no que via. Pois uma mulher de olhos negros e gigantescos, cabelos cor de mel emanava uma luz que parecia com os primeiros raios do sol da manhã, mas em plena noite! Flutuava e sumia pra dentro da floresta como um ave noturna, deixando apenas seu rastro de luz.
– É um milagre, pensou o motorista que continuou sua viagem. É cada coisa que os viajantes vêm, que se contar ninguém acredita!” (Daniela Procopio). (Estudo para Gueixa Tropical) – Todos os direitos reservados. #DanielaProcopio #GueixaTropical #GueixadoXingu #Roman

IVIMG_4104

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s